Lições 81-90

81.       Se a Vida fecha portas à nossa frente mas não as esconde dos nossos olhos, não é para nos proteger porque talvez aquelas portas seriam pior para nossa vida, mas é porque ou temos alguma coisa que nos falta ou temos alguma coisa que devemos abandonar para poder entrar naquelas portas. De outra forma, entrariamos e ofenderiamos ao que ou a quem está lá dentro e ou não aguentaríamos ficar lá ou seriamos expulsos, e a Vida não abre portas para desperdício de tempo, saúde e riquezas, o que seria apropriado só para as portas da Morte.

82.       AME-SE. Sem amar a si mesmo você não consegue amar ao seu próximo como a si mesmo, nem construir a autoestima e o autorespeito, nem consegui-las de seus próximos, nem irá querer realmente ser saudável, bonito, rico, alegre, ter sucesso e felicidade nem vida eterna. Para que iria querer essas coisas se você não amar a si mesmo? Você só iria querer ficar se lamentando, arranjando doenças, assumindo culpas, rejeitando qualquer pagador de culpas que não fosse você mesmo e tomando o lugar do Pagador de Pecados numa cruz pesada demais para você, que é não amar a si mesmo e não escolher a Vida.

83.       Ninguém escolhe a morte. A morte foi escolhida para nós pelos que vieram antes de nós, da mesma forma que os que hoje não escolhem a Vida estão, automáticamente, escolhendo a morte, para si mesmos e para seus descendentes, na medida em que encolhem os braços, fecham os olhos, ouvidos, boca, nariz, tato e paladar, se calam e se escondem, ou eles mesmos debocham, pervertem, depedram, crucificam, apedrejam e queimam todas as riquezas físicas e espirituais, éticas e estéticas, que geram ou defendem o que é bom, o que é belo e o que é perene, isto é, a Vida. Sistemicamente, adulteram e prostituem a gênese e a ecologia de: florestas, rios, animais, sementes, alimentos, saúde, sustento, tempo, dinheiro, trabalho, educação, disciplina, Espiritualidade, sabedoria, virtudes, honestidade, autoridade, poder, Liberdade, Democracia, verdade, Ciências, cultura, artes, beleza, união, Amor, sexo, casamento, família, crianças, velhos, direito, segurança, Justiça, prosperidade, propriedade, enfim, destroem a Paz e a alegria de viver.

84.        “O princípio de tudo está no Verbo”. Mutatis mutandis, é preciso levar a sério sua palavra, seus propósitos, suas promessas. Aquilo em que você empenhou sua palavra, cumpra. Aqueles projetos da juventude, aquelas promessas de início de ano, aquelas “juras” de amor, aqueles cursos, até aquela pontualidade prometida, tudo. Reafirme o propósito, reforce o compromisso, tire a poeira dos sonhos, redesperte as paixões e mantenha-se fiel à palavra dada desde o início, sem se desviar nem para direitas nem para esquerdas, muito menos olhar para trás. Faça de sua palavra uma Lei. E naquelas coisas em que a força de vontade fraqueja, não desista, não deixe adormecer, não deixe cair no esquecimento consciente. Seu inconsciente nunca esquece e sempre terá essa negatividade presente e não se importará em repetí-la nas novas propostas suas. Onde falhou, não invente desculpas nem ache culpados para sua desistência, mas assuma sua infidelidade aos propósitos e tente de forma diferente, renove suas armas, métodos, reforços, estratégias e táticas, enfim, vá com tudo e algo mais que o ajude a vencer qualquer desafio e ganhar toda batalha, principalmente aquelas que você perdeu nas outras vezes. Desta vez, mesmo que dê errado vai dar certo, porque você estará uma batalha a menos mais perto de seu objetivo. Senão, confirme se ainda não está morto em vida, se fez a escolha da Vida, proposta no tema central desta coletânea.  

85.       Rico não é quem tem dinheiro para qualquer vida, é quem tem vida para qualquer dinheiro. Sem a perspectiva de vida eterna toda riqueza empobrece.

86.       Escolher a Vida é a primeira e única opção em que usamos o livre arbítrio com absoluta originalidade e legitimidade. Todas as outras escolhas da vida de cada um não são verdadeiras escolhas por livre arbítrio legítimo, pois recebem influências e imposições externas impostas pelos ideais, necessidades e relacionamentos gerados a partir daquela primeira escolha. Daí o perdão aos que não sabem o que fazem. Mas, ai daqueles a quem a Vida se revelou e eles preferiram dar liberdade aos instintos e valores à moda de Barrabás.

87.       Crescer, multiplicar-se e ter domínio sobre todas as coisas estão entre os primeiros mandamentos da Vida. “Non duco ducor”.

88.       Pessoas são como o ouro puro: se estão nas águas dos pântanos da vida ou se nas altas montanhas floridas, têm o mesmo valor. Todas as jóias de todas as coroas da terra não comprariam uma vida para alguém. Por isso os sábios preferem ganhar mais almas a corpos, pois serão elas que nos receberão nas Mansões Eternas.

89.       O discurso da pessoa diz o que ela mais tem no coração, mas é o percurso que essa pessoa faz que diz quem realmente ela é, o que realmente quer, sabe e pode fazer acontecer.

90.   O quadrado mágico do fazer acontecer tem quatro colunas: querer, saber, poder e dever. Ele toma forma, torna-se eficaz e as coisas acontecem e permanecem quando essas colunas se entrelaçam equitativamente, sem fraudulências, e se torna numa só peça, incorruptível, indestrutível, imarcescível e inabalável, capaz de sustentar o poder criativo da Vida, o Fogo Abrasador, o Desejo Ardente, que não cessa até que se realize o propósito dessas colunas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s