Lições 91-100

91.       O ser humano é inerentemente um ser social: isolar-se do meio social é desatualizar-se, ficar fora de contexto e cavar a própria infelicidade e ruína.

92.       Para sair das Sombras do Mundo Submerso e ir “andar sobre as águas” da Superfície retire seus Pesos e abra seus Flutuadores; para Voar consiga Asas, Bico e Motores. Quanto mais potente o motor, menor as asas, maior o bico e maior a resistência e o atrito nos ares, mas a multidão, as distâncias e os pontos de pousos e decolagens são muito maiores e melhores.

93.       Amar não é ter uma vida a mais com o ser amado, é ser uma só vida com o ser amado, de tal forma que, morrendo um, o outro não tem como continuar a mesma vida, só pode recomeçar uma outra vida.

94.       Se quando você deixar este mundo não puder deixá-lo melhor do que o encontrou, não deixá-lo pior já será uma grande vitória, pois terá vencido a enormidade de inimigos que tentam fazer você juntar-se aos destruidores de Placas do Caminho.

95.       A Espada da Vida, em todas as suas formas, línguas, tempos e modos, contém uma inscrição que repete sempre: “NÃO ME DESEMBAINHES SEM RAZÃO NEM ME EMPUNHES SEM VALOR”. Essa razão vem dos explorados e humilhados, que foram impossibilitados de reconhecer alguma Espada, e muito menos de aprender a desembainhar alguma. Esse valor vem do que pode dar a vitória com honra.

96.       Ame seu cônjuge se ele quiser seu amor, mas se o coração dele exigir que seu amor venha com jugo igual e mesma roupa, cheiro e sabor de outros amores, volte o seu amor para você, ame-se, e vá atrás de quem seja um verdadeiro cônjuge com você, pois o que torna uma união inseparável é o Amor, não a Lei, nem os ritos religiosos.

97.       Só quando o poder sobre a sua vida estiver em suas próprias mãos ou nas mãos de um rei maior é que você pode ir contra o rei. Muitos dos que perdem a função e o cargo, e até mesmo a vida, perdem por desprezarem este simples preceito.

98.       Como dizem os orientais: “não dê tapas em quem é mais alto do que você”, e o “Capitão Virgulino” arremata: “dê Tiro, cabra! De preferença sem apiá da Rede, visse bixin?”. O bom e entendedor, do escrito errado tira o dito certo.

99.       Para ser um vivedor, e não um morredor, lembrando o tema central destas páginas, continue saindo dos abrigos e atitudes de fuga, arrume e vista toda a armadura, pertinente e competente, livre-se de todos os “amigos” desanimadores e atrasadores, e vá à luta. Mas vá como quem tem um coração valente e não com um coração de manteiga predisposto a olhar para trás e mudar de idéia, pois isso seria infidelidade (falta de fé), e, sem fidelidade (fé) só se consegue o que se conseguiu até o instante da infidelidade, para, logo depois, até isso perder, pois sem fidelidade é impossível agradar a qualquer pessoa de bom juízo, à Vida e muito menos a Deus, nem vencer em qualquer propósito que exija constância, perseverança, resiliência e perspicácia. Vá à luta. É certo que, no começo, você talvez só ganhe uma em cada cem batalhas, mas também é certo que no final você verá que as batalhas que realmente valiam a pena e faziam diferença para sua vida você as venceu. Vá à luta: só lá, no campo de batalha, você entenderá quem é realmente o seu inimigo e que armas deve usar. Se você vestiu completamente a armadura da fidelidade aos seus propósitos e compromissos, não se surpreenda se na maioria das vezes não encontrar nenhum inimigo, não precisar de nenhuma das armas que disseram, e só achar um vasto campo verdejante, de águas tranquilas, convidando-o a correr por ele livremente e a deliciar-se com a brisa. Vá à luta. A outra opção é “deixar como está para ver como é que fica” e acomodar-se nas síndromes do sapo fervente, das Amélias, das Gabrielas e das Carolinas, cantadas e contadas pela nossa música popular e literaturas de auto-ajuda, ou viver fugindo de inimigos que nunca enfrentariam você, pois, se você mesmo já estiver lentamente se suicidando nos lugares de luz negra, penumbras, gritos, raios, trovões, fumaças e dopantes, ou na janela digital da vida de segunda mão, por que algum inimigo seu iria querer lutar contra você e acabar logo com o espetáculo prazeroso dele, que é ver o lento e doloroso fim de um inimigo?

100.   Criar, amar e negociar: esta é a trindade de verbos do Sucesso e da Felicidade, base das relações e comunicações intra, trans, e inter-pessoais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s