Lições da Vida: 121-130

121-               Escolher a Vida é viver com e por quem disse e provou: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
 __________________________________________________

122-               Escolher viver, conscientizar-se da opção pela Vida, escolher continuar na Vida, ser um vivedor, não um morredor, deveria ser o primeiro estudo e a primeira oração de cada pessoa, logo ao despertar, em cada novo dia da própria existência. Mas não confunda a oração com a meditação ou com a mentalização: uma coisa é a espiritualidade e outra coisa é a religiosidade.
 __________________________________________________

123-               Os mortos nada fazem, nada louvam e nada têm. Só lhes resta pela frente a morte eterna, o “inferno” da desintegração e volta ao pó atômico de onde vieram. Mas os mortos que escolherem a vida ressuscitam e recebem um novo nascimento de inocentes, dessa vez amando a si mesmos e aos seus próximos, para nunca mais atirar a primeira pedra e nunca mais se colocar no lugar de pagador de pecados.
 __________________________________________________

124-               O Tempo:

Tic, tac, tic, tac, levei mais um
Tic, tac, tic, tac, levei mais um
Tic, tac, tic, tac, levei mais
Tic, tac, tic, tac, levei
Tic, tac, tic, tac
Tic, tac, tic
Tic, tac
Tic
Ti
T                                             .
.
.
.
Não há mais nada aqui
Não adianta procurar.
Aqui só há o vazio
Ausência de vida
Pobreza de tudo
Morte
Nada
Quem não seguiu com o tempo
E não voou com o vento
Para se vivificar
Só deixou o tempo passar
Nada
Morte
Pobreza de tudo
Ausência de vida
Aqui só há o vazio
Não adianta procurar.
Não há mais nada aqui        
.                                (Jair Jatobá)
.
.
.                     ”Sou o tempo, que passa, que passa,
.                      Sem princípio, sem fim, sem medida.
.                      Vou levando a ventura e a desgraça,
.                      Vou levando as vaidades da vida.
.
                        E a correr de segundo em segundo
                        Vou formando os minutos que correm
                        Formo as horas que passam no mundo
                        Formo os anos que nascem e morrem”
                            (ainda não encontrei o nome do autor)
 __________________________________________________

125-               Escolher a Vida é escolher o Amor e a Fidelidade (fé), para moldarem a ética e a estética dos nossos propósitos e compromissos, pois o Amor e a Fidelidade são as únicas virtudes capazes de ultrapassar até mesmo a morte e de realizar o impossível aos humanos. Sem a ética não haveria lugar para a espiritualidade do que é magnífico, benigno e eterno, e sem a estética não haveria corporalidade para o que é bom, rico e belo.
 __________________________________________________

126-               No fim, até o último lugar é melhor do que o podium com desclassificação, e as poucas vitórias por bens eternos são mais excelentes do que as muitas batalhas heróicas de ricos despojos corruptíveis.
 __________________________________________________

127-               A Vida só entrará em alguém total e eficazmente quando a última célula onde se cultive alguma pretensão e algum orgulho que motivem auto-adoração sairem e derem lugar à Glória da Criação, adoração que a Vida não permite seja de mais ninguém.
 __________________________________________________

128-               Vidas passadas é chutência. A ciência evidencia a memória genética da vida dos nossos antepassados e não de “encarnações” passadas da própria pessoa.
 __________________________________________________

129-               Uma providência urgente para qualquer pessoa que escolhe ser um vivedor e não um morredor é fazer um exame de seus determinantes mentais, isto é, de seus princípios pessoais, crenças, valores e paradigmas e, se for preciso, fazer a terapia dos desejos e do entusiasmo com algum analista de semântica pessoal e teomatricial. Isso pode evitar as complicações das pessoas que confundem, por exemplos, entre ser e ter ou ser e estar, entre amor e dependência, sexo e atratividade, perdão e conivência, justiça e vingança, castigo e punição, espiritualidade e religiosidade, fé (fidelidade) e superstição (medo), desejo e ideal, entre outras muitas confusões, e até inversões, do entendimento, que são comuns nas pessoas que têm problemas de direcionamento e tomada de decisões na vida, tendência a culpas e doenças, medos, timidez, submissão indevida, carência de auto-estima e auto-respeito, dificuldade em impor-se como individuo de vontade própria, etc. Vale lembrar os versos do poeta, sobre os desejos:

“Homem que tens no peito um coração sedento
De lutas e vitórias, de vícios e vaidades
Que és dos teus desejos o teu próprio tormento
E fugindo da Luz buscas a Verdade”

 __________________________________________________

130-          Se a Vida fecha portas à nossa frente mas não as esconde dos nossos olhos, não é para nos proteger porque talvez aquelas portas seriam pior para nossa vida, mas é porque ou temos alguma coisa que nos falta ou temos alguma coisa que devemos abandonar para poder entrar naquelas portas. De outra forma, entrariamos e ofenderiamos ao que ou a quem está lá dentro e ou não aguentaríamos ficar lá ou seriamos expulsos, e a Vida não abre portas para desperdício de tempo, saúde e riquezas, o que seria apropriado só para as portas da Morte.
 __________________________________________________

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s